Secretaria vacina contra febre amarela após morte de macaco com doença


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está fazendo uma ação neste sábado (7) para vacinar moradores da região sudoeste de Goiânia contra a febre amarela após a confirmação da morte de um macaco com a doença no setor Forteville. Devem procurar os postos de saúde moradores que nunca se vacinaram ou tomaram a medicação apenas uma vez. Este ano, três pessoas morreram vítimas da febre amarela

De acordo com a secretaria, o macaco foi encontrado morto em uma chácara no dia 25 de outubro, mas a confirmação sobre a febre amarela só foi dada na sexta-feira (6). Imediatamente, após constatar a suspeita da doença, agentes começaram a desenvolver ações de controle para evitar novos casos.De acordo com a secretaria, o macaco foi encontrado morto em uma chácara no dia 25 de outubro, mas a confirmação sobre a febre amarela só foi dada na sexta-feira (6). Imediatamente, após constatar a suspeita da doença, agentes começaram a desenvolver ações de controle para evitar novos casos.De acordo com a secretaria, o macaco foi encontrado morto em uma chácara no dia 25 de outubro, mas a confirmação sobre a febre amarela só foi dada na sexta-feira (6). Imediatamente, após constatar a suspeita da doença, agentes começaram a desenvolver ações de controle para evitar novos casos.


O órgão vacinou moradores da região e também fez buscas para tentar identificar se outros macacos tinham morrido contaminados com a febre amarela. Além disso, foram eliminados criadouros do mosquito transmissor da doença, bem como orientação aos moradores. Ao todo, os agentes percorreram mais de oito mil casas.

A secretaria disse que é importante que a população mantenha o cartão de vacinação atualizado. Apenas pessoas que já foram imunizadas duas vezes, independente de quando foram as doses, é considerado protegido contra a febre amarela.

Os sintomas da doença são principalmente febre alta, calafrio, dor no corpo e vômito. De acordo com a secretaria de saúde, os sintomas duram cerca de três dias, mas podem se agravar depois desse período. Ainda segundo os dados do órgão, o último ciclo de febre amarela em Goiás aconteceu em 2008.

Fonte: g1.globo.com